Homem que teve corpo identificado pela família como “m orto” aparece vivo no seu próprio velório

Humberto 06/06/2021 Relatar Quero comentar

Gilberto Araújo, de 41 anos, mora em Alagoinhas, há 100 km de Salvador, ela passou por uma situação inusitada, o mesmo devido sua grande semelhança com um cadáver de outra pessoa, acabou sendo reconhecido por sua família como o próprio, por engano, e assustou a todos ao entrar no local aonde estaria sendo realizado "seu" próprio velório. 

Contudo o velório ocorria normalmente do lavador de carros, e sua própria família que já não o via a cerca de 4 meses não notou  a diferença, então através da ligação que Gilberto teve com um amigo, ele soube oque estava acontecendo,  e resolveu ir até o local para esclarecer, espantando a todos os envolvidos. 

"Foi um susto. As meninas caíram, desmaiaram. Teve gente correndo. A rua encheu de moto, de carro, de tudo”, disse a vendedora Maria Menezes, outras pessoas parentes e amigos do rapaz ficaram em estado de choque com oque havia acontecido, ninguém entendia nada e estavam assustados.

Portanto após a revelação esclarecida, o corpo teve que voltar ao IML, o delegado do caso disse, “Vai ser tudo desconstituído e agora vai ser mais trabalho para a Justiça, tanto documental, quanto processual. Iremos começar do zero mais uma vez”, disse o delegado Glauco Suzart.

Gilberto relatou oque aconteceu, “Um colega me ligou [dizendo] que tinha um caixão, que era eu que estava morto. Aí eu disse ‘gente, mas eu estou vivo, me belisca aí”, afirmou. 

O irmão de Gilberto, José Marcos Santana, explicou oque deve ter ajudado para ocorrer toda a confusão com seu irmão, “Ele só aparece de ano em ano, a gente fica muito tempo sem encontrar. Ele mora aqui em Alagoinhas, mas cada dia está em um lugar diferente”, disse ele.

Por outro lado a mãe do rapaz de sentiu aliviada e muito feliz, em saber que seu filho estava vivo, obviamente, "Eu fiquei muito alegre porque qual é a mãe que tem um filho que dizem que está morto e depois aparece vivo?”, disse a mãe Marina Santana.

Comentário do usuário