Auxílio emergencial: seleção prévia com quem já recebeu o benefício deverá ser feita pelo governo

Só matérias boas 17/02/2021 Relatar Quero comentar

O governo deverá providenciar uma seleção prévia no banco de dados dos cadastrados que receberam o auxílio emergencial no ano passado, para só depois autorizar a CEF a efetuar novos depósitos do benefício que está previsto para retornar no mês que vem.

De acordo com a revista Exame, desta vez haverá uma mudança importante em relação ao auxílio emergencial, pois em 2020 foram as pessoas que se autodeclararam necessitadas da ajuda financeira e alegaram que se encaixavam nas exigências para ter direito ao benefício, mas agora o Ministério da Cidadania conta com um banco de dados que pode ser usado para saber quem realmente está precisando dessa ajuda do governo.

Esse banco de dados seria utilizado para gerar uma lista com os nomes de quem teria direito ao auxílio emergencial que está para retornar nas próximas semanas, se não houver nenhuma mudança. Agora os técnicos estão trabalhando para que as parcelas sejam pagas de forma automática, ou seja, ninguém precisará efetuar novo cadastro.

Através desse banco de dados, o governo emitiria uma lista de novos beneficiados e de forma automática o dinheiro seria depositado para eles. O que não foi informado até agora é se as mães que são chefes de família terão direito ao valor em dobro, como ocorreu no ano passado.

Um detalhe importante é que os cidadãos que já estão recebendo pensão, aposentadoria, seguro desemprego, benefício assistencial, ou que tenham vínculo empregatício, dessa vez não terão direito ao auxílio emergencial.

Se no ano passado foram cerca de 68 milhões de beneficiários, após esse pente fino do governo, estima-se que o número de pessoas que terão direito ao novo auxílio emergencial seja de 40 milhões.

Comentário do usuário