Os Estados Unidos lançou novo Satélite espião para monitorar as pessoas dentro de casa

ricardo102030 20/12/2020 Relatar Quero comentar

Uma empresa americana lançou, há alguns meses, um satélite capaz de registrar imagens em qualquer lugar do mundo, inclusive dentro de casas e prédios. E, diferentemente de grande parte dos satélites, ele também é capaz de fazer a captação mesmo durante a noite ou se estiver chovendo, segundo um artido publicado no site Futurism.

Na quarta-feira, a empresa Capella Space lançou uma plataforma que permitirá a governos e clientes privados solicitarem imagens de qualquer lugar do mundo. Essa capacidade ainda vai aumentar, porque serão colocados seis novos satélites no ano que vem.

Com isso, apesar da tecnologia utilizada para captar imagens na escuridão não seja inédita, a Capella Space tornou-se a primeira empresa americana a oferecer essa tecnologia nos EUA e a primeira no mundo a disponibilizar o serviço para clientes, de acordo com o Futurism.

A polêmica, no entanto, fica por parte da privacidade — da falta dela. São muitos os questionamentos que circundam uma tecnologia que é capaz de captar imagem por dentro das quatro paredes de qualquer imóvel.

O diretor executivo da empresa, Payam Banazadeh, em entrevista ao site, disse que, por outro lado, há muitas lacunas para quem observa a Terra do espaço, e que governos e cientistas podem se beneficar com mais informações vindas a partir dessa tecnologia.

Um possível cliente pode ser, por exemplo, uma agência governamental que quer monitorar alguma ação militar hostil. Por isso, seria importante que a tecnologia consiga captar as imagens por dentro das paredes.

Mesmo assim, ainda não está claro o que seria feito para impedir que a população comum passe a ser vigiada ou tenha sua privacidade violada.

Entre 2014 e 2016, os EUA lançaram quatro satélites no âmbito do programa GSSAP para monitorar e controlar o espaço exterior para a Força Aérea dos EUA.

Os satélites espiões militares dos EUA (GSSAP) voaram secretamente repetidas vezes perto dos aparatos espaciais militares e civis russos e chineses para realizar inspeção. A informação foi divulgada por um relatório sobre os sistemas mundiais de defesa espacial, lançado pela US Secure World Foundation.

De acordo com dados oficiais, os satélites desta rede de vigilância estão localizados próximos da órbita geoestacionária a uma altitude de mais de 35 mil quilômetros e vigiam outros satélites com o uso de equipamentos óptico-eletrônicos.

“Embora os militares dos EUA não forneçam dados públicos sobre os locais ou manobras dos satélites GSSAP, outras fontes de dados de rastreamento indicam que eles são muito ativos na região geoestacionária”, diz o relatório.

fonte: correio Brasil

Comentário do usuário
Você pode gostar