Família de criança com doença rara obtém, na Justiça, direito a coração artificial enquanto não consegue doador para fazer transplante

Matérias Top 08/02/2021 Relatar Quero comentar

A família da pequena Beatriz, que tem um ano, conseguiu, na Justiça, o direito para ela fazer um implante de coração artificial.

Ela tem um ano e foi diagnosticada com  A doença impede o bombeamento adequado de sangue para o corpo, causando complicações como arritmias, coágulos de sangue e até morte súbita.

Os pais descobriram a doença quando ela tinha quatro meses de idade. "Nós vimos que ela estava com a respiração mais acelerada, curta. E já fazia uns quinze dias que ela não estava mamando como antes. Quando ela foi internada, no dia seguinte já foi entubada", explicou a mãe, Paula Fuentes.

De acordo com os médicos, o ideal para o caso da Beatriz, seria um transplante de coração. Mas como a família não encontrou um doador compatível, e o procedimento precisa ser feito com urgência, ela vai receber o coração artificial até poder fazer o transplante.

A cirurgia será feita no Instituto do Coração, em São Paulo, que é o único local do Brasil que faz esse tipo de cirurgia. Com a liminar obtida na Justiça, o plano de saúde deve bancar os custos do procedimento e também do internamento.

Comentário do usuário