Saiba por quê variante do coronavírus da Índia preocupa ainda mais os cientistas

New York Times 22/04/2021 Relatar Quero comentar

Chamada de B.1.617, mais conhecida como variante da Índia, ela também foi detectada em regiões da Europa, na Austrália, África e Estados Unidos e possivelmente a razão do número alto de casos pode ser a nova variante do vírus Sars-CoV-2 presente no país. A Índia enfrenta a segunda onda de Covid-19 e registrou 315.000 novos casos da doença somente nas 24 horas desta quarta-feira (21), um recorde mundial.

Atualmente, a variante corresponde a 29% dos casos de Covid-19 na Índia, como registra o site científico Outbreak.info. Ela foi identificada pela primeira vez em dezembro de 2020 no próprio país e vem assustando os Índianos e todas classe científica do pais. Pesquisas estão sendo feitas e todos os cuidados sendo tomados para que se descubra o mais rápido possível a maneira de conter essa doença.

A variante se destaca por uma mutação dupla específica (a E484Q e a L452R), uma forma inédita em conjunto. Na variação brasileira, a P1, há a mutação E484K, bem parecida – alteração também está presente nas variantes da África do Sul e na do Reino Unido. A segunda mutação da variante indiana, a L452R, foi identificada em linhagens do enorme território americano.

Para Miguel Nicolelis, médico, neurocientista e professor catedrático da Universidade Duke (EUA, “a variante duplica a proteína de superfície do vírus, e o torna mais transmissível”.  A B.1.617 tem indícios que fazem crer que pode apresentar maior transmissibilidade.  Nicolelis pediu nesta quarta-feira que o Brasil interrompa os voos vindos com turistas da Índia vem para frequentar o país.

Comentário do usuário