Bolsonaro usa guaraná cor-de-rosa para ofender gays e maranhenses

ricardo102030 30/10/2020 Relatar Quero comentar

Não foi preciso muito tempo na cronometrada agenda de pouco mais do que oito horas a ser cumprida em território maranhense nesta quinta-feira (29) para que Jair Bolsonaro (sem partido) se envolvesse em outra das suas frequentes polêmicas. Em meio a uma grande aglomeração de pessoas e sem usar máscara, o presidente se divertiu com a cor rosa de um Guaraná Jesus, a bebida típica do estado, e aproveitou para fazer mais uma piada homofóbica que agora passa a contar na sua lista de gafes.

“Agora eu virei boiola. Igual maranhense, é isso?”, disse o presidente entre risos. “Guaraná cor-de-rosa do Maranhão aí, quem toma esse guaraná aqui vira maranhense”, emendou depois Bolsonaro, mostrando a bebida a apoiadores.

Sem deixar passar, o presidente do PCdoB Maranhão, deputado federal Márcio Jerry (MA) repudiou o comportamento do mandatário e recordou a falta de obras a serem inauguradas pelo governo federal na região.

“Na agenda de Bolsonaro aqui no Maranhão tinha inauguração de tapa buracos e de um panelódromo. Aí ele aproveitou a vinda para proferir piada homofóbica contra maranhenses. Escolheu o estado para agredir com homofobia. Preconceito e desrespeito”, definiu o parlamentar, antes de emendar sua avaliação da visita: “As fotos de Bolsonaro no Maranhão o mostram em total desrespeito ao nosso povo. Sem máscara e fazendo piadinha preconceituosa. Um estúpido, nosso repúdio”, finalizou Jerry, atual vice-líder do partido na Câmara.

Comitiva bolsonarista

Ciceroneado pelo senador Roberto Rocha (PSDB), que já foi sarneyzista, tucano, socialista e agora é bolsonarista, o ex-capitão reformado do Exército visitou quatro municípios onde teve expressiva votação nas eleições de 2018. Apesar do pouco tempo, a visita mobilizou um enorme aparato de segurança. Em campanha antecipada para 2022, durante a passagem, a “caravana” bolsonarista também intensificou o apoio a Eduardo Braide (Podemos), candidato à prefeitura de São Luís.

Além de Rocha, a comitiva de “boas-vindas” a Bolsonaro foi formada pelos deputados federais Aluísio Mendes (PSC), Cléber Verde (Republicanos), Edilázio Júnior (PSD), Juscelino Filho (DEM) e Pastor Gildenemyr (PL).

Enquanto isso…

Paralelamente, o governador Flávio Dino, a quem Bolsonaro costuma atacar, não foi convidado pelo presidente para agendas conjuntas. Dino aproveitou o dia para inaugurar um campus da Universidade Estadual do Maranhão na cidade de São Bento e duas escolas. Também lançou as obras da universidade em outro município, São João dos Patos.

No fim do dia, o governador anunciou que entrará com uma ação judicial contra Jair Bolsonaro. Pelo Twitter, Dino disse que Bolsonaro utilizou dinheiro público para fazer propaganda política.

“Bolsonaro veio ao Maranhão com sua habitual falta de educação e decoro. Fez piada sem graça com uma de nossas tradicionais marcas empresariais: o guaraná Jesus. E o mais grave: usou dinheiro público para propaganda politica. Será processado”, escreveu Flávio Dino.

Comentário do usuário
Você pode gostar
X
Relatar
Use um endereço de e-mail real. Se não pudermos entrar em contato com você, não poderemos processar seu relatório.