Trump comemora crescimento econômico e Biden o acusa de espalhar coronavírus

Amélia 30/10/2020 Relatar Quero comentar

O presidente americano, Donald Trump, e o democrata Joe Biden coincidiram pela primeira vez, nesta quinta-feira, no local de seus comícios, em Tampa, no disputado estado da Flórida. Os adversários, porém, expressaram visões opostas: Trump se vangloriou do crescimento econômico e Biden o acusou de propagar o novo coronavírus.

A cinco dias das eleições, Trump concentrou sua mensagem em proclamar o fim da crise sanitária, com advertências sobre o "socialismo" e que o país poderia se tornar uma Cuba ou Venezuela se seu adversário vencer. Biden chamou o presidente de irresponsável por sua gestão da pandemia, no dia em que o país superou 90 mil casos diários.

O presidente republicano, 74 anos, reiterou sua advertência de que, em um governo Biden, o confinamento pelo novo coronavírus impediria uma vida normal.

"Não vão lhes permitir fazer nada", disse Trump em um ambiente festivo em Tampa, na Flórida, estado que, com seus 29 votos no colégio eleitoral, costuma definir o presidente desde 1964, com uma única exceção no registro. Por isso, os candidatos correm até lá a fim de assegurar uma vitória.

Trump venceu na Flórida em 2016, mas, segundo pesquisa da NBC News/Marist publicada nesta quinta-feira, Biden tem uma vantagem sutil no estado, de 51 a 47, com margem de erro de 4,4 pontos.

Segundo estes dados, Trump lidera as preferências entre os latinos, com vantagem de 52 sobre 46. Nas eleições passadas, este grupo não o apoiou. Mas para os simpatizantes presentes em seu comício, as pesquisas não são confiáveis.

"Não acredito nada nas pesquisas. Trump vai vencer 100%, estou certo", disse à AFP José Murgues, um comerciante colombiano de 44 anos, para quem as políticas contra o aborto do presidente são muito importantes.

Para Greg Baker, um aposentado de 60 anos, "não há outra opção do que Trump". "É eleger os Estados Unidos acima do comunismo e do socialismo", avaliou.

Esta dicotomia também está presente no discurso do presidente, que afirma que estão em jogo na eleição o "sonho americano" ou o "pesadelo do socialismo". "Nossos oponentes querem transformar os Estados Unidos em uma Cuba comunista ou em uma Venezuela socialista", afirmou.

Biden, cujos comícios respeitam as medidas de distanciamento, acusou o rival de organizar eventos "superpropagadores do vírus". "Esses eventos propagam muito mais do que o vírus. Propagam a divisão e a discórdia", declarou o democrata debaixo de chuva em Tampa, a 20 minutos do local onde Trump havia discursado horas antes.

Clique na segunda página para continuar navegando
Comentário do usuário
X
Relatar
Use um endereço de e-mail real. Se não pudermos entrar em contato com você, não poderemos processar seu relatório.