Instituto Butantan recebe os insumos para produzir 8,6 milhões de doses da vacina CoronaVac

Matérias Top 05/02/2021 Relatar Quero comentar

O Instituto Butantan, na Zona Oeste de São Paulo, recebeu no início da tarde desta quinta-feira (4) os 5,4 mil litros de insumos para produção de 8,6 mihões de doses da CoronaVac, vacina contra a Covid-19 desenvolvida em parceria com laboratório chinês Sinovac.

O insumo estava em Campinas e chegou ao Butantan por volta das 12h20 em caminhões refrigerados. Os veículos foram escoltados por viaturas da Polícia Militar, Polícia Rodoviária Estadual, batedores em motos e pelo helicóptero Águia da PM.

Além das equipes do aeroporto, a Receita Federal, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e a Polícia Federal participaram da operação para liberação da carga. O material deve deixou o terminal com destino a São Paulo às 11h desta quinta (4).

O desembarque contou com a presença do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), do secretário de Saúde do estado, Jean Gorinchteyn, e do diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas.

Esse é o primeiro lote de insumos que o Butantan recebe neste ano. O instituto afirma que, com a matéria-prima, produzirá, em 20 dias, cerca de 8,6 milhões de doses do imunizante, que serão envasadas, embaladas e rotuladas na sede do instituto na cidade de São Paulo.

De acordo com o Butantan, as vacinas produzidas a partir desse lote de matéria-prima começarão a ser entregues ao Ministério da Saúde no próximo dia 25. Em coletiva de imprensa na semana passada, o diretor do instituto disse que outros 5,6 mil litros estão em processo "avançado de liberação" pelo governo chinês e devem chegar até a próxima quarta (10).

A previsão do Butantan é receber, até abril, o total de  Desse total, seis milhões foram importadas prontas da China.

Após confirmação do governo federal, o instituto informou que segue em negociação para o recebimento de mais oito mil litros de Insumo Farmacêutico Ativo (IFA), a fim de cumprir o contrato com o Ministério da Saúde e produzir 54 milhões de doses adicionais da CoronaVac.

Os testes no Brasil, conduzidos pelo Instituto Butantan, apontaram uma . Além disso, a vacina tem eficácia de 78% para casos leves, que exigem algum cuidado médico, e nenhum dos vacinados ficou em estado grave, foi internado ou morreu.

O imunizante teve 91,25% de eficácia em uma análise preliminar dos resultados na Turquia e 65,3% na Indonésia. Ao justificar as diferentes taxas de eficácia, a farmacêutica chinesa afirmou que os países usaram vacinas do mesmo lote em seus estudos, mas os protocolos de teste não eram idênticos.

Comentário do usuário