Cansada de ver o namorado bêbado, mulher arma pegadinha e contrata travesti para dormir com ele que acorda desesperado; vídeo

Carlosandre1055 13/02/2021 Relatar Quero comentar

O sujeito tinha bebido demais na noite anterior. Comprometido, deu em cima de outras mulheres. Tentou beijar algumas. No meio da bebedeira, apagou. Acordou num hotel com uma daquelas dores de cabeça devastadoras, típicas de ressaca. Na cama, diante dele, estava uma travesti. Ela informa: “Oi, amor, você está bem? Não se lembra de nada? Nós dormimos juntos…” O sujeito, de sunga azul, pergunta, atordoado: “Eu dormi com você? Tenho namorada, ai…” Vídeo no final do texto.

A cena, que aconteceu num quarto de hotel em Bancoc, na Tailândia, foi filmada com uma câmera escondida, e rendeu quase 20 milhões de visualizações dias depois de ser publicada na internet. A namorada do rapaz de sunga viu tudo o que aconteceu ali. Foi a tcheca Lenka, namorada dele, na verdade, quem armou tudo. Era uma pegadinha para flagrar o namorado. Segundo Lenka, ele costuma beber muito ma balada. Sempre flerta com outras mulheres e diz não se lembrar do que aconteceu no dia seguinte. Ela e o namorado, que se chama Čeněk Štýbl e também é da República Tcheca, estavam em Bancoc, na Tailândia, de férias .

Lenka (à esquerda) tinha chamado um grupo de produtores especializados em pegadinhas, os ViralBrothers, da República Tcheca. Contratou-os antes da viagem, já pensando em aprontar com o namorado — que. claro, não sabia de nada. Uma travesti (acima) foi chamada para fazer o cara acreditar que tinha dormido com ela. “Ele vira um don juan quando fica bêbado, mesmo que eu esteja por perto”, revela a namorada. “Ele toma todas direto e cai em cima da mulherada”, conta ela. “Queria provar que, bêbado, ele pode fazer de tudo, sem se dar conta”.

O vídeo da pegadinha começa com o rapaz chapado de sono, dormindo e roncando. Čeněk bebeu até não poder mais antes de apagar no quarto do hotel. Acordou ao lado da travesti e voltou a perguntar o que tinha rolado. “Você dormiu comigo, meu bem”, reforça a travesti. “Estava bêbado, mas parecia bem apaixonado por mim…”. Na noite anterior, Čeněk e a namorada tinham ido a uma balada frequentada por travestis, ou ladyboys como são chamados na Tailândia. A casa noturna fica bem ao lado do hotel onde os dois estão hospedados .

O ressacado se desespera: “Não é possível, eu não lembro de nada”, balbucia ele. O tcheco continuava perdidão… Acorda com a Ladyboy ao lado dele perguntando se eles vão se divertir mais, “como fizeram à noite”. Pois Čeněk achou que fosse tudo real mesmo. Olhando para o travesti, ele aumenta o tom: “Não te conheço. Saia daqui” . Durante a pegadinha, a travesti se aproxima ainda mais: “Você disse que me queria muito…”. “Como assim? Eu não! Olha, não se aproxime de mim”, ele se exalta, bancando o machão homofóbico.

Enquanto a cena se desenrolava no quarto, a namorada do tcheco estava escondida num armário, assistindo a tudo. Ela só ria… O travesti explica: “Você estava bêbado, me agarrou e me levou para cá. Fizemos amor e você apagou”. O tcheco tenta disfarçar, agora acreditando que tudo aquilo poderia ser possível: “Mas cadê minha namorada?”. “Como viemos parar neste quarto? Fala a verdade: o que nós fizemos?”, questiona o techo. Em seguida, senta de novo na cama, desorientado. A travesti tenta consolá-lo, e é cruel: “Sua namorada viu você beijando várias garotas na balada. Quando nós ficamos juntos e saímos de mãos dadas da balada, foi embora”.

Clique na segunda página para continuar navegando
Comentário do usuário