Bolsonaro é detonado por não prorrogar auxílio emergencial: ‘Não demonstra compaixão pelo povo brasileiro’

Melhores notícias 31/01/2021 Relatar Quero comentar

O auxílio emergencial chegou ao fim em dezembro do ano passado e agora, apesar da pressão para que o benefício volte, nada foi definido ainda e os brasileiros começam 2021 sem essa importante ajuda, sendo que as primeiras parcelas pagas foram no valor de R$ 600, depois caiu para R$ 300.

Frei Anastácio, deputado federal, não poupou críticas ao presidente por ele não aprovar o retorno do auxílio emergencial, já que a pandemia continua avançando por todo o país e o número de casos disparou em várias cidades.

esse auxílio, mais de 3 milhões de pessoas entrarão na faixa de extrema pobreza e completou: “Bolsonaro não demonstra compaixão pelo povo brasileiro, os novos casos de pessoas contaminadas não param e as consequências negativas causadas pela pandemia também não”.

Para Frei Anastácio, é preciso faz algo urgentemente ou do contrário o número de brasileiros vivendo em extrema pobreza chegará a 17 milhões, de acordo com o IBGE. O deputado federal informou que segundo o DataFolha, quase 70% das pessoas que contavam com o auxílio emergencial não têm fonte de renda e agora estão completamente desamparadas.

O político lamentou que o país não conte com um projeto para salvar vidas, restabelecer a economia e que muitos morrerão devido a Covid-19 e também por causa da pobreza.

O Ministro da Economia tem feito declarações sobre a suposta volta do benefício e disse que para o auxílio emergencial retornar, seria preciso cortar vários gastos do governo.

Comentário do usuário