Cliente morto no Carrefour foi asfixiado por 4 minutos diante de "15 testemunhas"·

Noticias no Ar 22/11/2020 Relatar Quero comentar

O caso de espancamento até a morte de João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, ocorrido no interior do supermercado Carrefour em Porto Alegre vem causando muita revolta e repercussão nos últimos dias.

Acompanhando a esposa durante as compras, o soldador acabou se desentendo com uma funcionária ainda no interior da loja, e depois se envolveu em uma confusão com dois seguranças do local. No último sábado, a Folha de S. Paulo divulgou um vídeo exclusivo onde detalha todo o ocorrido na parte do estacionamento do supermercado.

João Alberto, que inicialmente dá um soco em um dos seguranças, é espancado por cerca de dois minutos e posteriormente foi asfixiado por quase quatro minutos, sob a presença de 15 testemunhas.

Em depoimento, Giovane Gaspar, um dos seguranças envolvido no crime, disse que tinha sido vítima de uma agressão do cliente, fato que fica comprovado no vídeo.

Além dos dois seguranças, é possível ver uma fiscal do Carrefour filmando e observando o espancamento sem interferir.

Um homem tenta ajuda João Alberto, mas na sequência é afastado pela fiscal enquanto outros dois seguranças de terno aparecem no local.

Passivos

Mesmo diante das agressões, pessoas que passaram pelo local se manifestaram para intervir a ação. Quando o cliente se move pela última vez, há ao menos cerca de 17 pessoas presentes, sendo 15 delas testemunhas e os dois seguranças acusados do crime. Ainda é possível que mais pessoas tenham visualizado a ação, mas não apareceram por estarem fora do alcance da câmera.

Em um outro vídeo obtido pela Folha de S. Paulo, a fiscal Adriana Alves Dutra aparece intimidando testemunhas, e justificando a ação dos dois seguranças para com João Alberto, afirmando que ele havia provocado confusão no interior da loja, chegando a agredir uma funcionária do Carrefour.

Comentário do usuário
X
Relatar
Use um endereço de e-mail real. Se não pudermos entrar em contato com você, não poderemos processar seu relatório.