Adolescente de 15 anos que matou toda a família ao descobrir que não era filho biológico da mãe demostra ‘nenhum remorso’

N. Ferreira***** 15/11/2020 Relatar Quero comentar

Um adolescente acusado de matar toda a própria família, depois de descobrir que a mulher que o criou não era a mãe biológica dele, tem demonstrado "nenhum remorso" pelos crimes enquanto aguarda julgamento em um centro de detenção juvenil. Os crimes aconteceram em 2019, no Alabama, EUA.

Mason Wayne Sisk, de 15 anos, será julgado como um adulto pelo assassinato a tiros do pai dele, da madrasta e dos três irmãos mais novos, na cidade de Elkmont. Ele tinha 14 anos, quando os crimes aconteceram, mas a pouca idade não parece tê-lo afetado, pelo que afirmam documentos apresentados à corte norte-americana e obtidos pelo noticiário WaayTV, do canal ABC.

"Mason não parece incomodado pelo fato de ser acusado da morte de toda a família dele", escreve o fiscal responsável por ele, na detenção juvenil. "Ele mostrou nenhum sinal de remorso. Durante a detenção, sequer mencionou a família por uma vez, que fosse".

Ainda assim, o fiscal detalha que Mason se comporta bem, no que diz respeito à convivência com outros internos do Centro de Detenção Juvenil de Tuscumbia, na região de vale do Tennessee. "Ele tem seguido ordens, feito seus deveres e interagido bem com os demais", explica.

Os novos documentos também revelam que todos os parentes de Mason foram atingidos por tiros na cabeça. O adolescente enfrenta cinco acusações de homicídio doloso.

As vítimas foram identificadas como John Sisk, de 38 anos, Mary Sisk, de 35 anos, Grayson, de seis anos, Aurora, de cino anos e Colson, de só seis meses de idade, conforme apurou o WZDX.

Comentário do usuário
X
Relatar
Use um endereço de e-mail real. Se não pudermos entrar em contato com você, não poderemos processar seu relatório.