Murros, humilhações e queimaduras de cigarro: câmeras de segurança flagram agressões do neto à avó de 76 anos

Noticias no Ar 22/11/2020 Relatar Quero comentar

Murros, humilhações e queimaduras de cigarro: câmeras de segurança flagram agressões do neto à avó de 76 anos

Imagens de câmeras de segurança tem causado revolta nas redes sociais. Os registros mostram uma série de agressões contra uma idosa indefesa. De acordo com o site Metrópoles, o responsável pelas atrocidades é Matheus Luz, neto de Maria Stela Vasconcelos, de 76 anos, vítima das agressões. O jovem foi indiciado pela polícia do Rio de Janeiro por lesão corporal e violência doméstica.

Nas imagens chocantes, Matheus aparece jogando água na cabeça da avó e tratando-a com truculência. O jovem também dá murros no painel de um elevador, além de ter sido gravado chutando uma criança. A Justiça do Rio de Janeiro acatou o pedido de prisão preventiva do rapaz.

As investigações concluíram que Matheus também agredia a idosa com garrafadas na cabeça, além de praticar outras agressões e humilhações. Em depoimento, o agressor admitiu que agia de forma violenta com a avó e confessou que já queimou a idosa com cigarro.

De acordo com vizinhos, Maria Stela passava horas do dia, sentada na portaria do apartamento localizado no Leblon. A atitude seria uma maneira de fugir das agressões do neto na residência da família. Vizinho que presenciavam a violência decidiram denunciar o caso à polícia.

Segundo as investigações, Matheus Luz é reincidente e já tem passagens pela polícia por agressões anteriores à avó e também à mãe.

Cabe ressaltar que o crime de violência contra idosos é previsto no Estatuto do Idoso em seu 99º artigo. “Expor a perigo a integridade e a saúde, física ou psíquica, do idoso, submetendo-o a condições desumanas ou degradantes ou privando-o de alimentos e cuidados indispensáveis, quando obrigado a fazê-lo, ou sujeitando-o a trabalho excessivo ou inadequado”, diz a letra da lei. A pena para quem pratica esse crime consiste na detenção de 2 meses a 12 anos, dependendo da gravidade do delito.

Comentário do usuário
Você pode gostar
X
Relatar
Use um endereço de e-mail real. Se não pudermos entrar em contato com você, não poderemos processar seu relatório.