Bolsonaro diz que não vai surgir novo líder em 2 anos e que vida na Presidência é uma 'desgraça'

Amélia 11/11/2020 Relatar Quero comentar

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) reagiu nesta terça-feira a articulações que buscam uma alternativa ao seu nome nas eleições de 2022 e afirmou que não surgirá um "líder pronto" em dois anos.

O mandatário também disse que quem pensa que "ele tem tesão" pela cadeira de presidente está "equivocado".

Como a Folha de S.Paulo revelou no domingo, no dia 30 de outubro, o apresentador Luciano Huck foi a Curitiba para se encontrar com Moro e discutir a intenção de construir uma "terceira via" para a sucessão de Bolsonaro.

O governador de São Paulo, João Doria, também mantém diálogo com o ex-juiz. Outro nome que os articuladores da aliança também querem atrair é o do ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta.

"Não teremos um líder feito no Brasil de dois anos, não vai aparecer. A não ser montado na grana, comprando um tantão de coisa por aí, em especial os marqueteiros. Fora isso não terão outros líderes num curto espaço de tempo", afirmou Bolsonaro nesta terça.

A declaração foi dada em uma solenidade no Palácio do Planalto sobre ações para a retomada do turismo. No evento, Bolsonaro defendeu o combate ao coronavírus sem tornar rígido o isolamento e disse que é preciso agir agora porque "depois não terão oportunidade".

Bolsonaro deu a declaração ao lembrar da derrota de Maurício Macri na Argentina para Alberto Fernandez, que tem Cristina Kirchner como vice e lembrou de outros governo na América do Sul que voltaram ou permaneceram alinhados à esquerda.

"Então, pessoal, nós temos que buscar mudanças, não teremos outra oportunidade. Aí vem uma turminha aí falar de ah, 'queremos o centro', 'nem ódio para cá, nem ódio para lá', ódio é coisa de maricas, pô", afirmou.

O presidente afirmou que a vida dele na presidência é "uma desgraça", "problema o tempo todo", disse que sua cadeira "está à disposição", mas afirmou ver pessoas articulando para ocupar seu lugar no Planalto.

Bolsonaro ainda disse que não há um sistema sólido no Brasil e que por isso "no futuro", "tudo" poderia mudar "por fraudes", em referência ao processo eleitoral e à vitória de candidatos de esquerda na América Latina.

"O Brasil não pode ir para esse lado (da esquerda), meu Deus do céu. Minha cadeira está à disposição. Eu vejo pessoas articulando para chegar lá não pelos seus méritos, mas criticando, falando mal, falando besteira o tempo todo, mentindo, provocando, caluniando, perseguindo meus familiares o tempo todo", reclamou.

Clique na segunda página para continuar navegando
Comentário do usuário
X
Relatar
Use um endereço de e-mail real. Se não pudermos entrar em contato com você, não poderemos processar seu relatório.