Jair Bolsonaro quer somente 100 milhões de doses da vacina

jhileade 23/12/2020 Relatar Quero comentar

O Ministério da Saúde negocia com o Instituto Butantan um contrato de aquisição de 100 milhões de doses para atender o país. Os lotes serão entregues no primeiro semestre de 2021.

Segundo o Ministro da Saúde o cronograma de entrega das vacinas propostos pelo secretário do Instituto Butantan prevê a entrega de inicial de 9 milhões de doses em janeiro, mas o governo já negocia um aumento no contrato.

O Ministro Arnaldo Medeiros, disse que além do Instituto Butantan o contrato com o Pfizer está avançando para aquisição para somar com os que serão adquiridos então isso leva a crer que o Brasil terá 150 milhões de doses de vacina contra o covid-19 no primeiro semestre de 2021.

Diante da pressão da sociedade civil e de governadores para lançar a campanha de imunização nacional o quanto antes, o governo anunciou estar empenhado em acelerar o processo de vacinação no país.

Ontem, o ministro da Saúde, general Eduardo Pazuello, fez uma nova previsão para começar a vacinar os primeiros grupos prioritários. Ele antecipou a estimativa para “o final de janeiro, na melhor hipótese”.

No mesmo esforço para acelerar o processo de imunização, a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) estima disponibilizar a primeira remessa da vacina, em parceria com a AstraZeneca, em 8 de fevereiro.

“Estamos nos preparando para iniciar 2021 com a vacina, se Deus quiser, assim que registrada pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). [...]

A previsão nossa, como sempre, é final de janeiro, na melhor hipótese, e indo até meio e final de fevereiro, em uma pior hipótese”, declarou Pazuello, durante breve discurso na última audiência do ano da Comissão Externa de Enfrentamento à covid-19, na Câmara dos Deputados.

Enquanto isso vamos obedecer as regras para vivermos melhor e imune ao vírus.

Comentário do usuário