Sargento reformado da PM assassina mulher em casa após ceia de Natal na frente da filha de 12 anos

As mais clicadas do dia 26/12/2020 Relatar Quero comentar

 

A cabeleireira Anna Paula Porfírio dos Santos, de 45 anos, foi assassinada pelo marido, o sargento reformado da Polícia Militar Ademir Tavares de Oliveira, de 53 anos. O crime de feminicídio aconteceu após a ceia de Natal, na casa do casal em Recife (PE). Depois de atingir a esposa com dois disparos de arma de fogo, o homem foi preso em flagrante na manhã de sexta-feira (25). As informações são do portal “G1”.

Acionada ainda na madrugada da sexta-feira, a Polícia Militar chegou ao local e levou o homem para o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), na Zona Oeste da capital pernambucana. Lá, Ademir de Oliveira foi preso em flagrante. Depois de passar pelo Instituto Médico Legal (IML), ele foi encaminhado ao Centro de Reeducação da Polícia Militar (Creed), após sua prisão ser convertida em prisão preventiva durante audiência de custódia.

Os dois eram casados há 20 anos e tinham uma filha de 12 anos, que estava em casa no momento em que o crime aconteceu. O perito constatou que o assassinato ocorreu após a ceia de Natal e que o assassino não reagiu à prisão e entregou sua arma. Um disparo atingiu a face da vítima e o outro, seu tórax, sendo um disparado a curta distância da mulher.

Familiares do policial que moravam no térreo da casa, e haviam participado da ceia junto com o casal, ouviram os tiros quando já estavam em sua casa, mas não houve tempo para socorrer a vítima.

 

O corpo de Anna Paula Porfírio dos Santos, de 45 anos, , na madrugada da sexta (25), foi velado neste sábado (26) no cemitério de Santo Amaro, no Centro do Recife. A cerimônia reuniu amigos e familiares da cabeleireira.

Segundo familiares e amigos, Anna Paula tinha quatro filhos. Uma delas, Milena Porfírio, de 20 anos, lamentou a morte da mãe nas redes sociais. "Nunca mais nenhum Natal vai ser o mesmo", escreveu. "A senhora é algo admirável. Um ser de coração bom, ajudava a todos. Sempre materna, sempre amiga, sempre irmã, sempre filha. Só te agradeço por ser quem foi e por me ensinar tudo", disse Milena, em uma publicação.

Comentário do usuário
Você pode gostar