Dataprev fará cadastro e liberação do Auxílio Emergencial em 2021

lailson1895 05/03/2021 Relatar Quero comentar

O Auxílio Emergencial vai voltar em março e milhares de brasileiros estão aflitos para saber se estarão na lista de quem terá direito às novas parcelas do benefício. A retomada do auxílio em 2021 já está quase saindo do papel, dependendo somente da aprovação da PEC Emergencial na Câmara dos Deputados na próxima semana e da edição de uma nova medida provisória por parte do governo federal que vai definir oficialmente quais serão as regras para receber os novos pagamentos e de quanto será o valor.

Até o momento, o que se sabe é que o  Auxílio será pago para até 44 milhões de brasileiros, visto que o governo tem comentado sobre pagar 4 parcelas de R$ 250. A estimativa se deve ao fato de constar na PEC Emergencial, que vai possibilitar os novos pagamentos, o valor máximo de R$ 44 bilhões destinado ao Auxílio em 2021. Esse teto máximo permitirá o pagamento no formato citado acima, mas o governo pode ainda optar por não utilizar todo o recurso.

O novo valor do Auxílio Emergencial parece ser um ponto que o governo federal ainda não bateu o martelo, visto que nos bastidores discute-se ainda o pagamento das parcelas de acordo com a composição familiar do beneficiário. Segundo fontes, o auxílio 2021 pode ter parcelas de R$ 150 para pessoas solteiras (família unipessoal), de R$ 250 para famílias com um ou mais filhos e R$ 375 para mulheres chefes de família.

Cadastro no Auxílio Emergencial 2021

Outro ponto que está gerando dúvidas é se o novo  Auxílio Emergencial terá cadastro. Até agora o governo federal não divulgou os detalhes de como será feita a seleção dos candidatos para a nova fase de pagamentos. Sabe-se que no ano passado a  Dataprev, empresa de tecnologia da Previdência, foi responsável pelo processamento dos dados e recebeu mais de 150 milhões de solicitações de cadastros. Dessas, mais de 68 milhões foram consideradas elegíveis para receber as parcelas do benefício de acordo com as regras estipuladas pelo governo.

Visto que a equipe econômica já fala em reduzir o novo auxílio para metade dos beneficiários - algo em torno de 34 milhões de brasileiros - um novo pente-fino deve ser feito pelo Ministério da Cidadania e outros órgãos parceiros utilizando a base analítica de dados originárias dos pagamentos anteriores. No ano passado, mesmo após aprovar o cidadão para receber o Auxílio Emergencial, o governo realizava a checagem dos dados mensalmente antes do pagamento de uma nova parcela, a fim de garantir que o beneficiário ainda se encaixava nos critérios definidos em lei.

Com base nisso, o Ministério da Cidadania deve aproveitar ainda a robusta base de dados para nortear os pagamentos do Auxílio em 2021. Não se pode descartar ainda a  possibilidade do governo abrir um novo prazo para cadastro, visto que muitos brasileiros podem ter perdido o emprego formal e vão depender da ajuda do governo a partir de agora.

Clique na segunda página para continuar navegando
Comentário do usuário
Você pode gostar