Auxílio emergencial terá pagamentos a partir do dia 6 de abril

Claudione 31/03/2021 Relatar Quero comentar

Está confirmado! O Governo Federal anunciou no final da manhã desta quarta-feira, 31 de março, a informação de que o   irá começar na próxima semana. Serão pagas mais  quatro parcelas, com valores de acordo com o perfil de cada beneficiário. O  valor médio é de R$250, mas pode variar de  R$ 150 a R$ 375 a depender da composição de cada família.

O ministro da Cidadania, João Roma, revelou que  o pagamento do auxílio emergencial vai começar no dia 06 de abril

.

Iniciaremos no dia 6 de abril o pagamento do auxílio emergencial 2021. Esse auxílio emergencial, no valor de R$ 44 bilhões, servirá para quatro parcelas no ano de 2021, que será direcionado para o brasileiro vulnerável, para quem está passando dificuldade”, disse o ministro.

De acordo com Roma, as pessoas que receberão os benefícios já estão cadastradas no sistema do governo. Saques serão liberados posteriormente.

“Aqueles que estavam aptos no mês de dezembro permanecem para receber o auxílio”, disse Roma.

De acordo com o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, os primeiros pagamentos serão realizados por meio de depósitos com o objetivo de evitar aglomerações. Após algumas semanas será disponibilizado o saque. Sendo assim, a estratégia é a mesma adotada dos pagamentos realizados em 2020.

Auxílio emergencial em 2021

Nada menos que duas medidas provisórias possibilitaram o Orçamento para até R$ 44 bilhões destinados aos pagamentos do benefício em 2021. Em torno de 40 milhões de brasileiros receberão o auxílio emergencial.

Para quem recebe o Bolsa Família, o Governo Federal já divulgou todas as datas para os beneficiários. Sendo assim, está confirmado o primeiro pagamento no dia 16 de abril e seguirão o calendário já estabelecido para o benefício, da forma tradicional, sempre nos últimos dez dias úteis de cada mês.

Presidente Jair Bolsonaro esteve presente no anúncio do auxílio emergencial

O presidente Jair Bolsonaro esteve presente no lançamento oficial do programa. Segundo ele, o pagamento significa um novo endividamento público.

“O calendário, com a volta do auxílio emergencial por mais quatro meses, é mais um endividamento da União. Isso não é dinheiro que estava no cofre. Isso pesa para todos nós, é uma conta que fica para nós e talvez para gerações futuras”, disse o presidente.

Comentário do usuário
Você pode gostar