Não adianta só enviar ofício, diz Queiroga ...

ana sousa 15/04/2021 Relatar Quero comentar

Kit intubação tem ameaças de desabastecimento de medicamentos, e João Doria (PSDB), governador de São Paulo, fez cobranças e Marcelo Queiroga ministro da saúde respondehoje diretamente à essas cobranças. Governo paulista afirmou que enviou nove ofícios, pedindo auxílio à pasta federal sobre o tema, sobre as atitudes da gestão de Doria, Queiroga fez sua cobrança.

Durante a entrevista coletiva da sede em Brasília, o ministro falou que não adiantava sóficar mandando ofícios ao ministério da saúde e sim também trabalhar juntos. Com a faltade estoque dos medicamentos para fazer o processo de entubação nós pacientes graves da covid-19, foi realizado o este evento justamente para esclarecimentos.

Queiroga pediu uma trégua, apesar de discurso crítico em relação a São Paulo. Municípios menores que segundo ele, tem menos economia para está fazendo compras de medicamentos, afirmando que a obrigação da união é o auxílio. É hora de trabalhar para ajudar as sociedade brasileira , não é hora de ficar apontando um para outro. 

Vamos responder a população Brasileira com políticas públicas, vamos deixar o redes sociais de lado. (Mesmo não sendo a obrigação principal dele o ministério da saúde e vem trabalhando), afirmou. no início da segunda onda da epidemia no país, Sérgio Okane (secretário de atenção especializada em saúde z respondeu sobre decisão que a pasta tomou recentemente.

 O governo federal na época requisitou à iniciativa privada, estocando os medicamentos dos kits de intubação, fazendo Doria apontar que teria uma dificuldade a mais na aquisição dos medicamentos. Okane falou que não foi retirada medicação de contrato vigente pelo laboratório. Justificou o secretário que todos nós vivemos um momento crítico por conta da quantidade de casos.

Comentário do usuário