Brasil bate marca de 4 mil mortes por Covid registrados em um dia pela 1ª vez e soma 337,6 mil na pandemia

Noticializando 06/04/2021 Relatar Quero comentar

O Brasil registrou 4.211 mortes por Covid-19 nas últimas 24 horas,  batendo pela primeira vez a marca de 4 mil óbitos anotados em um só dia e totalizando nesta terça-feira (6) 337.364 vítimas. Com isso, a média móvel de mortes no país nos últimos 7 dias ficou em 2.775. Em comparação à média de 14 dias atrás, a variação foi de +22%, indicando tendência de alta nos óbitos pela doença.

Os números estão no novo levantamento do consórcio de veículos de imprensa sobre a situação da pandemia de coronavírus no Brasil, consolidados às 20h desta terça. O balanço é feito a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde.

O grande registro de óbitos do dia pode ter relação com o represamento de dados do final de semana estendido após os feriados da Páscoa. Aos sábados, domingos e feriados, quando há equipes menores trabalhando, é comum que os números venham menores do que durante a semana e isso resulte em represamento dos registros, verificado nos dias posteriores.

Além do Brasil,  apenas os EUA já registraram mais de 4 mil vítimas em um único dia; em seu pior momento após as festas de fim de ano, o país anotou 4.476 mortes no dia 12 de janeiro, segundo o portal Our World in Data.

Já são 76 dias seguidos com a média móvel de mortes acima da marca de mil; o país completa agora 21 dias com essa média acima dos 2 mil mortos por dia; e  é  o décimo primeiro dia com a média acima da marca de 2,5 mil.

Veja a sequência da última semana na média móvel:

Quarta (31):  2.971 (recorde) Quinta (1º):  3.119 (recorde) Sexta (2):  3.006 Sábado (3):  2.800 Domingo (4):  2.747 Segunda (5):  2.698 Terça (6):  2.775

Em casos confirmados, desde o começo da pandemia 13.106.058 brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus, com 82.869 desses confirmados no último dia. A média móvel nos últimos 7 dias foi de 63.143. Isso representa uma variação de -16% em relação aos casos registrados em duas semanas, o que indica tendência de queda nos diagnósticos.

Comentário do usuário