PF investiga Ciro Gomes após críticas a Bolsonaro

ErickB72 20/03/2021 Relatar Quero comentar

Candidato à presidência da República em 2018,  (PDT) é alvo de um inquérito da Polícia Federal que investiga um possível crime contra a honra do  (sem partido). O pedido de abertura do inquérito foi assinado pelo próprio presidente. A informação é do jornal Estado de São Paulo.

O pedido é baseado em uma entrevista de Ciro Gomes à Rádio Tupinambá, de Sobral (Ceará), sobre as eleições muncipais de novembro do último ano. Segundo Gomes, o baixo apoio aos candidatos lançados pelo presidente mostravam “repúdio ao bolsonarismo, à sua boçalidade, à sua incapacidade de administrar a economia do País e seu desrespeito à saúde pública”. Além disso, Ciro também chamou o presidente de "ladrão" e falou sobre o caso de rachadinhas. 

Na entrevista, Ciro também critica o ex-ministro da Justiça, Sergio Moro, perguntando qual seu papel no combate à corrupção, já que "passava pano e acobertava a ladroeira do Bolsonaro", citando as acusações do Coaf contra os filhos e a esposa de Bolsonaro, além do ex-assessor de Flávio, Fabrício Queiroz.

A investigação tem como base o artigo 145 do Código Penal, que fala de crime contra a honra de funcionário público, no exercício de suas funções.

Ciro afirmou ao Estadão que sabia da abertura do inquérito há dez dias. "Estou pouco me ligando", disse o político cearense. 

Ciro e Lula bateriam Bolsonaro em 2022, diz pesquisa

Levantamento feito pela consultoria Atlas mostra que se as eleições presidenciais fossem nesta semana,  (sem partido) perderia em um possível segundo turno para o ex-presidente  (PT) e os ex-ministros  (PDT) e (DEM) por ao menos oito pontos percentuais.

A pesquisa foi fechada nesta quarta-feira (10), quando Lula fez o , e revela que o petista melhorou sua imagem. Já em relação a Bolsonaro, os dados apontam que o atual presidente é afetado pela crescente rejeição durante a pandemia no Brasil.

De acordo com a pesquisa Atlas, numa simulação de primeiro turno das presidenciais, Bolsonaro aparece com 32,7% das intenções de voto, contra 27,4% de Lula. Na sequência, aparecem o ex-ministro Sergio Moro (9,7%), Ciro Gomes (7,5%), Luiz Henrique Mandetta (4,3%), o governador paulista João Doria (4,3%) e o apresentador Luciano Huck (2,5%). No cenário sem Lula, o ex-prefeito Fernando Haddad aparece em segundo lugar, com 15,4%.

Porém, a virada nas intenções de voto acontece em um possível cenário de segundo turno. Lula aparece com 44,9% contra 36,9% de Bolsonaro — oito pontos de diferença. Na simulação com Ciro, o pedetista também bate Bolsonaro (44,7% contra 37,5%).

O levantamento também mostra uma boa performance de Mandetta em um eventual segundo turno. O ex-ministro da Saúde bateria Bolsonaro por 46,6% contra 36,9%. Já o tucano Doria, adversário político declaro de Bolsonaro durante a pandemia, aparece empatado com o presidente da República. A margem de erro é de dois pontos percentuais.

Clique na segunda página para continuar navegando
Comentário do usuário