Devido à Covid-19, Geraldo Luís diz que perdeu movimentos da perna direita

New York Times 23/04/2021 Relatar Quero comentar

O apresentador Geraldo Luís recebeu alta após 22 dias internado, mas ainda lida com as sequelas da Covid-19. Nos stories do Instagram, o jornalista postou uma foto fazendo fisioterapia e revelou: “Perdi movimentos da perna direita. Agora, só a fisio. Isso é Covid”. Depois que foi diagnosticado com a doença, o apresentador do “A Noite é Nossa”, da RecordTV.

Ele teve um quadro de pneumonia que afetou 70% do seu pulmão e chegou a ficar na UTI. Ao deixar o hospital, o jornalista agradeceu sua equipe médica e o suporte do seu filho, John Sakra. “Sou um sobrevivente desta doença que engole o corpo, definha pulmões, seca os pensamentos. Minha mente positiva foi que me manteve estável e lúcido”, escreveu Geraldo Luís nas redes sociais.

“A Covid-19 entrou aqui, judiou, deixou sequelas, mas foi embora. Sou mais um milagre dos céus. Que a mim concedeu mais um tempo de vida”, acrescentou o apresentador que também disse que se sente “um novo Geraldo”. apresentador Geraldo Luís, que foi internado por 22 dias com Covid-19 em um hospital e São Paulo e já teve alta, fez um relato impactante sobre sua experiência, nesta quinta-feira (25). Em um longo texto, publicado no Instagram, ele falou sobre sua passagem pelo hospital, explicando como, sem ter como tomar banho ou cuidar de sua higiene pessoal, precisou da ajuda de um enfermeiro, Marcio, que aparece em fotos publicadas pelo apresentador e a quem ele agradeceu com muita sinceridade.

"A vergonha do nu vai embora, você fica entregue ao outro de uma forma fraca, mas ao mesmo tempo confiável. Foi com esse profissional que aprendi a não ter medo, a ver que Deus da a cada um um poder", contou Geraldo, que em parte das imagens está tomando banho sentado em uma cadeira. Ele lembrou que o tempo todo precisava de auxílio para respirar. Alegria, alegria e muita canseira, parecia que o ar sumia... Tudo no oxigênio. Aí vinha o treino que me deram lá de fisioterapia respiratória... Demorava mas a batedeira passava", contou.

"Só quem passou ou irá passar saberá! Eu sobrevivi à Covid-19. Sempre fui um ser humano que cresceu aprendendo a dar valor no mínimo. Mas, de repente, vem a vida e lhe tira de cena, você passa a não ter mais nada, sua fragilidade vai ao extremo. Esse da foto é meu herói, o enfermeiro Marcio do Hospital Vila Nova Star. Com ele aprendi a reviver na cama.Foi assim: 'Seu Geraldo, a partir de hoje quem cuida de manhã do senhor sou eu'. E ele não só cuidou. Minha mente teve que mudar para fazer o número dois, ou você passa a ter um controle ou você já entra em desespero. A vergonha do nu vai embora, você fica entregue ao outro de uma forma fraca ,mas ao mesmo tempo confiável.

Comentário do usuário