Morre aos 69 anos, vítima da Covid-19, Levy Fidelix

New York Times 24/04/2021 Relatar Quero comentar

O político José Levy Fidelix da Cruz, mais conhecido apenas como Levy Fidelix, morreu, na noite dessa sexta-feira (23), aos 69 anos de idade. Ele estava internado desde março em um hospital particular de São Paulo e morreu por complicações da Covid-19. Fidelix deixa sua mulher, Aldinea Rodrigues Cruz, e uma filha, Lívia Fidelix, que tentou se eleger deputada nas eleições de 2018.

A notícia foi divulgada por pessoas próximas de Levy, como o prefeito de Sorocaba, Rodrigo Manga. "Que Deus conforte toda a família desse grande líder nacional...", escreveu Manga. "Meus sentimentos à família do presidente do PRTB @levyfidelix", postou o deputado federal José Medeiros.

Nesse sábado (24), um comunicado de falecimento foi divulgado no perfil do político. "É com profunda dor e pesar que o PRTB, por sua diretoria, comunica o falecimento do nosso Líder, Fundador e Presidente Nacional Levy Fidelix, ocorrida nesta data na cidade de São Paulo".

"Nosso eterno líder deixa como legado o dinamismo, o bom combate , a criatividade, a honradez, a lisura em suas ações e a fé inabalável, que norteram sua vida pública e privada". "Como um brasileiro notável, nunca se furtou aos grandes debates nacionais e de forma direta contribuiu para uma nação mais justa, defendendo a vida, as liberdades individuais e o equilíbrio entre passado, presente e futuro, em prol do bem comum. Descanse em paz homem do Aerotrem!"

A jornalista e cineasta Sandra Terena, também próxima de Levy, lamentou a notícia: "Com tristeza,  informo o falecimento de um pioneiro do conservadorismo no Brasil, Levy Fidelix por COVID-19. O óbito foi confirmado às 20 horas desta sexta-feira (23). Que o Espírito Santo console a família. Meu marido, o jornalista Oswaldo Eustáquio, foi um grande amigo de Levy".

TRAJETÓRIA

Fundador do Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB), Fidelix se formou em Comunicação Social e começou a carreira como publicitário, trabalhando também em jornais como Correio da Manhã e Última Hora. Já na política, trabalhou como assessor de comunicação e foi um dos fundadores da revista empresarial Governo e Empresa e também da revista política O Poder e, nos anos 1980, trabalhou como apresentador de TV, em que entrevistava especialistas em tecnologia e políticos.

Comentário do usuário