'Nunca fui avisada', desabafa mãe que perdeu todo o cabelo após implantar DIU

N. Ferreira***** 09/11/2020 Relatar Quero comentar

Faith O’Kelly sofreu por dez anos com a queda dos fios até ler um artigo que explicava essa questão. Nesse período, ela fez um perfil no Instagram para levantar a autoestima

Faith O’Kelly passou por um grande susto após optar por usar o DIU como método contraceptivo, em 2008. A britânica começou a ter uma queda de cabelo severa. Segundo ela, eram tufos que saiam por vez.

“Eu não lidei bem com isso de jeito nenhum. Eu ficava muito chateado e não queria sair de casa para que as pessoas notassem. A parte mais difícil era não me sentir mais feminina ou atraente”, desabafou ao The Mirror.

Depois do nascimento da filha, Summer, iniciaram os primeiros sinais. A mãe chegou a ser diagnosticada com alopecia, uma complicação que leva a queda dos fios, mas os médicos não descobriam qual a causa da doença.

O que começou em 2008 só teve fim em 2019, quando ela interrompeu o método contraceptivo. Foram mais de 10 anos sofrendo para aceitar a aparência: “Ter dois filhos pequenos significava que eu não podia simplesmente me esconder, então usei muitos chapéus para tentar cobrir as áreas carecas”.

Para ajudar nesse período, ela resolveu criar uma conta no Instagram e compartilhar algumas fotos. O perfil @rocking_alopecia, atualmente, tem mais de 2 mil seguidores e é uma fonte de apoio para Faith.

Depois de tantos anos com esse problema, ao fim de 2019, ela percebeu que a queda de cabelo poderia estar sendo causada pelo DIU após ler um artigo online, que relacionava ambas as coisas. “Eu não tinha ideia de que poderia ser a culpa e nunca fui avisada antes de tentar”, completou.

Foi quando ela contatou o médico, conseguiu retirar o contraceptivo em agosto e o cabelo voltou a crescer. “As áreas que ficaram completamente calvas por mais de dois anos estão cobertas de pequenos pelos agora e minhas manchas estão diminuindo drasticamente”, explicou.

A mãe não esconde a alegria por poder ter o cabelo novamente, mas diz que esse tempo a fez perceber que o cabelo não a define e se sente orgulhosa por poder ajudar outras mulheres através das redes sociais.

Em entrevista para a Universa, UOL, a ginecologista Marisa Teresinha Patriarca, pesquisadora do Departamento de Ginecologia da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), reforça que a queda não acontece para todas as mulheres , mas aquelas com predisposição genética à alopecia, e depende do tipo de DIU implantado.

“Por isso o contraceptivo não deve ser escolhido aleatoriamente. É preciso analisar o histórico da paciente e os efeitos colaterais devem ser observados e acompanhados”, justificou.


 

Comentário do usuário
X
Relatar
Use um endereço de e-mail real. Se não pudermos entrar em contato com você, não poderemos processar seu relatório.