Consultor de Joe Biden diz que a próxima presidência será dura com o Facebook

Bolso38 19/01/2021 Relatar Quero comentar

Joe Biden já começou a reunir a sua equipa para tomar posse como o 46.º presidente dos Estados Unidos da América. Nesse sentido, um dos principais consultores do presidente eleito sugeriu que a nova administração planeia ser dura com o Facebook e com o seu CEO, Mark Zuckerberg.

Segundo um tweet partilhado e posteriormente removido, Bill Russo, membro da equipe de imprensa de Biden, publicou uma foto do presidente Donald Trump e Zuckerberg num aperto de mão. Nessa foto, a legenda dizia “Um já foi. Falta outro”.

Joe Biden tem contas a acertar com o Facebook e Mark Zuckerberg?

Os democratas têm-se tornado cada vez mais críticos em relação às grandes empresas de tecnologia. Conforme tem sido percebido, dentro do partido há muitos membros a pressionar para regulamentações mais pesadas. Assim, a publicação de Bill Russo, um vice-diretor de comunicações da equipa de imprensa da campanha de Biden, passava uma mensagem que pode ser entendida como “uma promessa de dureza para com o Facebook”.

Segundo o que foi ainda visto, antes de ser removido, Russo publicou um tweet do ator Baron Cohen que mostrava uma foto do presidente Donald Trump e Zuckerberg num aperto de mãos na Casa Branca.

No seu tweet, partilhado após Trump ter perdido as eleições para Biden, Baron Cohen escreveu: “Um já foi. Falta outro.”

O  noticiou o texto do tweet de Russo enquanto este estava online. Posteriormente a Business Insider encontrou um registo do que foi dito nos dados de cache do Google.

Facebook e Zuckerberg são para Biden “um problema”

Baron Cohen é um crítico declarado do Facebook e de outras grandes plataformas de redes sociais. Este tem acusado estas plataformas de espalhar desinformação que prejudica a democracia. Ele chamou o Facebook de “aliado zeloso” de Trump no mês passado.

A publicação de Russo é um sinal vago, mas sinistro, enquanto Biden e a sua equipe finalizam a agenda para o próximo governo. No passado, Biden criticou o Facebook e descreveu Zuckerberg como “um problema”.

Muitos democratas poderiam ser um forte apoio se Biden decidir enfrentar os gigantes da tecnologia. Muitos tecem duras críticas à Amazon, Apple, Google e Facebook, apelidando-as de monopólios. Assim, Biden, poderá tentar regular as grandes empresas de tecnologia.

Comentário do usuário