Pandemia comprovou claramente que o Capitalismo é o melhor sistema de política econômica que existe

Bolso38 22/03/2021 Relatar Quero comentar

A sorte do Brasil é que o Presidente Bolsonaro sempre se inspirou no modelo econômico dos Estados Unidos, e quer que o Brasil siga no mesmo rumo do País Norte Americano.

Nos Estados Unidos o pacote de US$ 1,9 trilhão é o segundo maior da história americana e inclui US$ 400 bilhões em pagamentos únicos de US$ 1.400 para a maioria dos americanos. Cerca de 9,5 milhões de desempregados receberão, ainda, US$ 300 por semana em auxílio-desemprego até o verão, além do que já recebem normalmente do governo. Essa parte do projeto veio da Câmara dos Deputados com o valor de US$ 400, mas foi reduzida no Senado --segundo os democratas, para facilitar a aprovação.

Outro ponto do projeto que foi aprovado na Câmara, mas que não seguiu adiante, foi o aumento do salário mínimo, que dobraria, passando para US$ 15 por hora. O Senado rejeitou.  

A ajuda inclui, ainda, US$ 350 bilhões aos governos estaduais e às prefeituras para cobrir o déficit do último ano, ajudar a recuperar as economias locais e repor os 9,5 milhões de empregos ceifados por conta da pandemia. Mas a expectativa é que a recuperação do mercado de trabalho seja lenta, podendo demorar anos.

O projeto prevê que o estímulo econômico dado aos estados e municípios seja empregado na redução da pobreza infantil, que pode cair à metade por meio da expansão de créditos fiscais para americanos de baixa renda com filhos. O texto direciona, ainda, o dinheiro para pagamento de creches e uma ampliação do número de americanos contemplados pela Affordable Care Act, conhecido como Obamacare, que amplia o acesso dos americanos a serviços de saúde. O auxílio deve expandir também os cupons de alimentação fornecidos pelo governo e o auxílio para aluguel.

A expectativa é a de que a Câmara aprove o projeto em segunda votação, que deve acontecer já na próxima semana. Depois, o texto segue para a mesa do presidente Biden para ser sancionado.

Vacinação

Os Estados Unidos já administraram 121.441.497 doses de vacinas contra a Covid-19 no país até a manhã deste sábado (20), e distribuíram 156.734.555 doses, segundo o Centro para Controle e Prevenção de Doenças do país. 

O número é referente às doses de vacinas da Moderna, Pfizer/BioNTech e Johnson & Johnson. 

De acordo com o número publicado na sexta-feira, a agência havia aplicado 118.313.818 doses das vacinas, e distribuído 154.199.235 doses. 

A Agência disse que pelo menos 79.367.225 pessoas receberam pelo menos uma dose, enquanto 43.036.818 pessoas estão totalmente vacinadas contra o coronavírus até o momento. 

Um total de 7.648.211 doses de vacinas foram aplicadas em instituições de cuidados continuados, afirmou a agência.

 

Comentário do usuário