Caso Fabíola pode revelar “algo macabro”, diz delegado

As mais clicadas do dia 21/12/2020 Relatar Quero comentar

A manhã deste domingo(20) foi de alegria e felicidade para a família da pequena Fabíola Torme que havia sido raptada na noite de sexta-feira(18) por uma dupla de criminosos, um homem e uma mulher, na cidade de Palhoça em Santa Catarina. Simone, mãe da menina, foi agredida e ficou impossibilitada de lutar pela filha de apenas 4 anos.

Foram mais de 24 horas de sufoco para a família e de trabalho intenso das polícias do estado. A angústia da família crescia conforme o tempo passava, isso porque a menina possui saúde frágil e precisa tomar uma medicação com regularidade. Após o excelente trabalho de investigação da polícia civil a casa onde estavam mantendo Fabiola foi localizada.

Depois da prisão do casal de raptores e do resgate de Fabíola, o delegado Fleury responsável pelo caso fez um breve comentário sobre a ação policial e o que encontraram na casa que a menina estava sendo mantida. Ao ser questionado sobre o que os policiais encontraram na casa o delegado respondeu: “A infantil[Fabíola] foi encontrada no segundo piso do imóvel, ela estava sentada no colo da feminina e sendo fortemente abraçada, agarrada. Na realidade, essa feminina segurava a menina com toda sua força.” 

“O que chamou atenção no primeiro momento foi que, assim que ela nos viu os olhos dela brilharam, nós entendemos aquele recado, ela[Fabíola] queria sair daquela situação”. Depois que ele relatou que precisaram conversar com a suspeita para que ela soltasse a menina, o delegado descreveu a cena que encontrou na casa: “Era um lugar insalubre, quando digo insalubre não são sujeiras domésticas ocasionais. Eram fezes e urina de cães misturado com roupas, pertences pessoais e etc.

Um segundo fato intrigante que deverá ser apurado dentro do inquérito policial é que haviam brinquedos, bonecos com os rostos modificados com caricaturas que aparentavam fazer parte de filmes de terror, bem macabros” Veja o vídeo do delegado:

Comentário do usuário