Bagunça e brinquedos macabros: cativeiro onde a menina Fabíola foi encontrada é detalhado pela Polícia

N. Ferreira***** 20/12/2020 Relatar Quero comentar

Chegou ao fim na madrugada desde domingo (20) o sequestro de Fabíola Tormes, de 4 anos, raptada em casa na última sexta-feira (18), em Palhoça. Ela estava com um casal que já havia feito contato com a mãe há alguns dias oferecendo ajuda. A menina estava com um homem de aproximadamente 40 anos e uma mulher de 25 anos, em uma casa no bairro Cachoeira do Bom Jesus, norte de Florianópolis.

Em entrevista coletiva neste domingo (20), delegados da Polícia Civil e representantes das forças de segurança reforçaram que a ajuda da população, repassando informações sobre os sequestradores, foram fundamentais para as investigações. Relataram também que foi um caso que emocionou todos. Segundo o delegado João Adolfo Fleury Castilhos, chamou a atenção de todos a bagunça generalizada na casa onde a menina foi encontrada, “inclusive com fezes de animais misturadas a roupas de crianças e brinquedos macabros”.

O casal vai responder por sequestro qualificado e a polícia ainda vai investigar se eles fazem parte de alguma rede de tráfico de crianças.

Para o delegado Fabio Faustino Pereira, o fim desse caso foi um presente de Natal. Segundo ele, as Forças de Seguranças não mediram esforços para encontrar a menina. Depois de receber informações mais concretas do paradeiro dos seqüestradores, as mesmas foram verificadas e confirmadas. A primeira delas foi a identificação do veículo usado no dia do rapto, que estava na casa onde foram encontrados. Segundo a polícia, no momento do resgate a menina demonstrou que não queria ficar com o casal e não se assustou com os policiais. No caminho para a delegacia chegou a dizer que eles eram os super-heróis dela.

O casal é natural do Rio Grande do Sul, mas reside em Florianópolis há alguns anos, mas não foi informado se já possuem passagem pela polícia.

Entenda: A menina teria sido raptada por um casal na noite da última sexta-feira (18), por volta das 22h, na Barra do Aririú, em Palhoça.

De acordo com informações do Comandante da Polícia Militar de Palhoça, Rodrigo Dutra, a mãe da menina relatou que o casal bateu na porta de sua casa e, no momento que foi atender, ela foi agredida com um pedaço de madeira. Em seguida, Fabiola teria sido levada pela dupla.

Os vizinhos relataram que o carro do casal era, possivelmente, um Gol branco, do tipo bola.

Fonte: scc10

* Com informações e fotos de Arliss Amaro.  

Comentário do usuário
Você pode gostar