Vírus mortal é identificado na Bolívia e pode ser transmitido entre pessoas; cientistas fazem alerta

N. Ferreira***** 17/11/2020 Relatar Quero comentar

O registro de três casos de arenavírus, sendo dois óbitos, na Bolívia, deixou Corumbá em estado de alerta. A doença é transmitida por ratos e camundongos. 

Os casos foram registrados nas regiões de Caravani, a 1.662 km de Corumbá. Segundo a pasta boliviana, o primeiro caso foi de um estudante de Medicina, morto no dia 7 de maio. O segundo caso foi de um homem de 22 anos, familiar da primeira vítima, porém este passa por recuperação. A terceira vítima foi outra estudante de Medicina, de 25 anos, que atendeu o primeiro caso, mas morreu no dia 4 de junho em contato com a vítima.

O arenavírus tem esse nome por apresentar pequenos grânulos que parecem areia no microscópio. O principal transmissor para os humanos são ratos e camundongos. A transmissão pode ocorrer por ingestão de água e alimentos contaminados por urina e fezes dos roedores. A transmissão de pessoa por pessoas pode ocorrer por contato com urina, fezes, vômito e saliva do doente.

De acordo com a Secretaria Municipal de Corumbá, os primeiros sintomas são lombomialgias, dor epigástrica e retro-orbital, tonturas, aversão a qualquer tipo de luz (fotofobia) e constipação.

Em nota, a pasta recomenda vigilância dos contatos. “Devido à fronteira seca entre Corumbá e a Bolívia, é necessário que haja uma atenção maior com os pacientes oriundos da Bolívia, que apresentem sinais e sintomas condizentes com a infecção por arenavírus”.

Assista a reportagem 

Comentário do usuário
X
Relatar
Use um endereço de e-mail real. Se não pudermos entrar em contato com você, não poderemos processar seu relatório.