Supermercados Mundial e Guanabara estão entre alvos de busca e apreensão de operação da Policia Federal

ricardo102030 20/11/2020 Relatar Quero comentar

Operação da polícia federal o esquema da Armadeira

o das Casas da (nos anos 90) e das Sendas (anos 2000, foram compradas do Pão de Açúcar), os supermercados Mundial e Guanabara viraram as maiores redes de do Grande Rio. O Mundial tem 20 lojas (19 na e uma em Niterói). O Guanabara tem 26 lojas, seis na (Niterói, São Gonçalo, Duque de Caxias, Nova Iguaçu, São João de Meriti, e Itaguaí). Perdem em de lojas para o Sul (44 lojas), mas ganham em faturamento.

A blitz realizada nesta 4ª feira, 18 de novembro, pela Federal (PF) e o Ministério Federal (MPF), na “Operação Armadeira 2”, para um para blindar as duas empresas de fiscalizações pela Federal, lembra o cerco que o secretário de de Leonel Brizola, Cesar Maia, armou para , em 1984, de ICM das Casas da , de Climério Veloso. Uma o de impostos X faturamento das redes é uma boa . Um

Eu trabalhava em "O Globo", na época, e fazia sozinho a coluna “Panorama Econômico”, com a colaboração de um ou outro colega da editoria de Economia, onde era subeditor (fechava páginas e o jornal na escala de fins de semana). Para fazer a coluna, circulava muito e, um dia, em conversa com Cesar Maia, ele explicou por que pôs a fiscalização da Secretaria de Fazenda em cima da empresa de Climério Veloso: “eles não podem pagar bem menos impostos do que as Sendas”, do saudoso Arthur Sendas.

O pulo do gato das Casas da Banha foi a compra de uma rede de supermercados na Amazônia, com sede em Manaus. Como na Zona Franca de Manaus muita coisa podia ser comprada com isenção de impostos, Climério passou a promover “passeio” de notas fiscais entre as lojas do Grande Rio e as de Manaus [a história se repete hoje no passeio de notas fiscais de xarope de refrigerantes e de insumos da indústria eletroeletrônica. Vale lembrar que a ZFM recebe anualmente renúncias fiscais/incentivos de R$ 25 bilhões!]. Por coincidência, um tio-avô de minha mulher, na época, era dono dos Supermercados Casas do Óleo, e ele vinha todo ano ao Rio para a convenção anual dos supermercados (Abras), no Riocentro, e conversei sobre o tema.

O tio-avô, que só operava na Amazônia, mas se tornara o maior importador/distribuidor de leite em pó da Dinamarca (e a cada vinda ao Rio trazia os deliciosos biscoitos amanteigados de lá...) me confirmou o esquema. Um dia, numa das reuniões na velha sede da Firjan, então presidida por Arthur João Donato (Estaleiros Caneco), que comandou a construção da nova sede na Avenida Graça Aranha, esquina de Santa Luzia, no Centro do Rio, puxei o assunto com Climério Veloso, que era muito falante e simpático. Ele confirmou a multa e pagou os impostos devidos. Mas não sei se foi por isso que as Casas da Banha e a rede Disco, de Francisco Amaral, foram à garra na mesma época (vivíamos a hiperinflação louca, onde um pequeno erro de estoque podia comer o capital de giro).

O loteamento das redes se deu basicamente entre o Zona Sul, Mundial, Guanabara e Princesa. Depois, vieram o SuperMarket e o chileno Prezunic, este com lojas novas e amplos estacionamentos.

Eduardo Eugênio descumpre promessa de Donato

Por falar em Arthur João Donato, lembro que ele, reeleito várias vezes para a presidência da Firjan, com a volta das eleições para governador (1982) e para presidente da República, após a Constituição de 1988, conseguiu aprovar a mudança dos estatutos da Firjan. Só caberia uma eleição para um 2º mandato.

Clique na segunda página para continuar navegando
Comentário do usuário
X
Relatar
Use um endereço de e-mail real. Se não pudermos entrar em contato com você, não poderemos processar seu relatório.