Visão Mundial alcança 59 milhões de pessoas em ajuda humanitária durante pandemia

Diário da Diva 22/03/2021 Relatar Quero comentar

Diana Vergara possui uma caixa de alimentos frescos doada a sua família pela Visão Mundial na Igreja Adventista de Auburn City em Auburn, Washington. (Foto: Visão Mundial / Laura Reinhardt).

Completando um ano da pandemia da Covid-19 no mundo, a organização humanitária cristã Visão Mundial alcançou 59 milhões de pessoas em ajuda social durante a crise do Coronavírus.

Pouco depois da Organização Mundial da Saúde (OMS) declarar pandemia, em 11 de março de 2020, a Visão Mundial lançou a maior resposta global em seus 70 anos de história. A mobilização aconteceu nos 100 países que a instituição trabalha, em parceria com igrejas e pastores.

A gerente do programa sênior da equipe de resposta de emergência da Visão Mundial, Erica Van Deren, afirmou ao The Christian Post que, enquanto o mundo fechava, a organização continuava trabalhando, cumprindo o propósito de Deus para a Visão Mundial.

“A Covid-19 tem sido nossa maior resposta nacional e internacional que já organizamos como uma organização. Tem sido uma quantidade notável de trabalho e realmente uma oportunidade maravilhosa de ser as mãos e os pés de Jesus neste momento muito, muito desafiador.”

Só nos EUA, a Visão Mundial, em parceria com 1300 igrejas, doou 3 milhões de caixas de alimentos frescos para o programa governamental Agricultores para Famílias. A instituição cristã também contribuiu com 5 milhões de unidades de equipamentos de proteção individual (EPI) e impactou cerca de 500 mil famílias ao fornecer itens essenciais para emergências.

O presidente e CEO da Visão Mundial dos EUA, Edgar Sandoval, disse que a resposta emergencial não teria sido possível sem a ajuda de pastores e igrejas em todo o mundo. A Visão Mundial é parceira de 124 mil líderes religiosos por meio de redes, já formadas em resposta a outras crises, como o Ebola, HIV e Zica vírus.

“Este trabalho incrível não poderia ter sido feito sem nossos valiosos parceiros da Igreja”, disse Sandoval em um comunicado. “A Igreja tem sido uma força para o bem, vivendo fora de suas quatro paredes e trabalhando lado a lado com seus vizinhos para distribuir alimentos que salvam vidas, EPI e outros itens essenciais”.

O trabalho da Visão Mundial durante a pandemia também alcançaram mais de 26 milhões de crianças, no ano passado. De acordo com a ONU, a fome, relacionada à crise da Covid-19, causou a morte de mais de 10 mil crianças por mês, durante o primeiro ano da pandemia.

Para Edgar Sandoval, “os impactos secundários do vírus nas pessoas mais pobres do mundo - especialmente nas crianças - são mortais e duradouros. Enquanto lutamos para proteger as pessoas do vírus, também devemos protegê-las das réplicas mortais da pandemia”.

Clique na segunda página para continuar navegando
Comentário do usuário