Festa com DJs internacionais e 600 pessoas aglomeradas é encerrada por policias em MG - VEJA A NOTICIA

Isabel123 15/03/2021 Relatar Quero comentar

Cerca de 600 pessoas participavam de um evento encerrado pela Guarda Municipal de Contagem (MG), na madrugada de hoje. A festa tinha alvará de funcionamento, mas descumpriu medidas de prevenção ao novo coronavírus, como a exigência do uso de máscaras e o distanciamento entre as mesas. DJs internacionais foram responsáveis pelo som eletrônico do evento, mas não tiveram os nomes divulgados.

A festa, que ocorreu no bairro Quincas do Jacubá, foi organizada via internet. Por redes sociais, a divulgação começou no dia 3 de fevereiro, com venda de ingressos e reserva de mesas, mas sem revelar onde aconteceria.

Poucas horas depois de a festa começar, na tarde de ontem, a Guarda Municipal recebeu denúncias. À noite, com o apoio da Polícia Militar, os agentes se deslocaram ao local e flagraram as irregularidades.

Segundo os guardas, o responsável foi identificado, mas não teve o nome revelado, e o espaço foi lacrado. Ele só foi notificado pela situação e, em caso de reincidência, poderá ser multado.

"A equipe chegou lá na Fazenda Marina Ventura e flagrou a aglomeração. Foi solicitado o encerramento da festa, mas houve resistência. Eles não queriam acabar. O responsável foi identificado e notificado", contou o chefe de Grupamento da Guarda, Waltencir Ventura.

Ele explicou que o evento tinha alvará de funcionamento porque o decreto das medidas restritivas permite a abertura de casas regulamentadas, desde que cumpram as medidas de segurança.

"Mas não houve esse respeito. Cerca de 600 pessoas aglomeradas, a maioria sem máscara. Não havia pontos de álcool. É realmente preocupante a postura de certos jovens. Vão a todos os lugares e terminam disseminando o vírus por aí sem remorso algum.

" Ventura acrescentou que a Guarda Municipal de Contagem tem recebido muitas denúncias de              aglomerações em residências.

"O que acontece? A pessoa faz sua reunião na sua casa e leva 30, 50 pessoas. Os vizinhos estão vendo aquilo e, com razão, denunciam." A casa de eventos se encontra em um condomínio fechado com vários  sítios. A economista Helen Pinheiro foi surpreendida com o som alto e a movimentação intensa.

"Eu acho um absurdo que, no meio do período mais severo de uma pandemia, haja gente com esse grau de irresponsabilidade. Pelo que vi, era um mundo gente, todos sem máscara. Não dá para imaginar o     que passa na cabeça dessas pessoas. Que ótimo que as autoridades encerraram", comentou. 

Comentário do usuário