Lula indica Haddad como pré-candidato do PT para presidente em 2022

Randal 05/02/2021 Relatar Quero comentar

SÃO PAULO — O ex-presidente Lula orientou o ex-prefeito Fernando Haddad a rodar o país se apresentando como pré-candidato do PT à Presidência da República em 2022. Os dois se reuniram no último sábado e avaliaram que não é possível esperar o julgamento da suspeição do ex-juiz Sergio Moro, que pode anular as condenações de Lula e devolver os seus direitos políticos.

— O Lula me disse que não há mais tempo e preciso colocar o bloco na rua

— afirmou Haddad ao GLOBO.

Bela Megale

O ex-prefeito de São Paulo, que em 2018 foi derrotado por Jair Bolsonaro no segundo turno, esteve em Brasília nesta semana para comunicar os seus planos para as bancadas na Câmara e no Senado. O governador da Bahia, Rui Costa, também alimenta o desejo de ser o candidato do PT em 2022, caso Lula fique mesmo fora da disputa. 

— Vamos começar a fazer agendas nos fins de semana, claro que com precauções devido à pandemia  — acrescentou Haddad.

Lula está impedido de disputar eleições por causa das condenações na Lava-Jato nos casos do tríplex e do sítio de Atibaia. O Supremo Tribunal Federal (STF) deve julgar nos próximos meses se Moro foi parcial nos processos contra  o ex-presidente, como alega a sua defesa. Se as condenações forem anuladas, Lula fica livre para disputar eleições.  

Há dúvidas, porém, entre os petistas se o ex-presidente teria realmente disposição de concorrer à Presidência novamente, mesmo que receba o sinal verde do STF. Pesa a idade, 75 anos, e o fato de o atual presidente Jair Bolsonaro aparecer como um candidato forte.

Leia

Na quinta-feira, em entrevista ao Uol, a presidente do PT, Gleisi Hoffmann disse que, caso Lula não possa concorrer, Haddad aparece como o nome “quase natural”. Ela citou também como possíveis candidatos os governadores Rui Costa, Camilo Santana (Ceará) e  Welligton Dias e o senador Jaques Wagner. 

A colocação de Lula gerou reações entre outros potenciais candidatos do campo da esquerda. Após a publicação da reportagem, Guilherme Boulos (PSOL), que disputou a Presidência em 2018 e a prefeitura de São Paulo no ano passado, disse que defende que a esquerda "busque unidade para enfrentar Bolsonaro". "Para isso, antes de lançar nomes, devemos discutir projeto", afirmou, por meio de suas redes sociais.

Comentário do usuário