TRAGÉDIA: Jovem reclama de quem urinava em frente à sua casa em baile funk e é morto.

Entretenimento 11/11/2020 Relatar Quero comentar

A Delegacia de Homicídios de São José dos Campos, São Paulo, investiga a morte do jovem Higor da Silva Gomes, de 24 anos, assassinado a tiros ao pedir respeito a um homem que urinava na frente de sua casa. O incidente aconteceu por volta das 2h30 da manhã de segunda-feira (9) no bairro Campo dos Alemães, Zona Sul da cidade, durante um baile funk popularmente conhecido como "Fluxo", que acontecia nas proximidades da residência.

O suspeito do crime - identificado como Ricardo Adriano Ribeiro - fugiu do local em uma BMW SUV branca e é considerado foragido - ele já era foragido por ter desaparecido em uma saída temporária, quando estava preso.

De acordo com agentes da 3ª Delegacia de Homicídios de São José dos Campos, a namorada de Higor - que estava com ele no momento dos disparos - relatou que os dois estavam em casa, enquanto num bar na esquina da rua acontecia uma festa. A mulher contou que no local alguns homens bebiam, ostentavam armas, e estavam utilizando a frente da casa da família para urinar.

Segundo a testemunha, na segunda vez que o grupo usou o local para fazer xixi, Higor pediu para que eles agissem com respeito, pois sua mulher estava ali e não devia presenciar a cena.

O suspeito de matar Higor, Ricardo Adriano Ribeiro, é procurado pela polícia.

"Neste momento um dos indivíduos (cara alto, de pele parda cabelo preto, com o braço engessado e uma tipóia, com uma jaqueta cinza disse: "você sabe com quem está falando?" e na sequência desferiu vários tiros na vítima, inclusive na sua cabeça. Depois arrancaram com o carro e fugiram", contou a jovem à polícia. Ela não foi atingida pelos tiros. Ainda conforme registro no Boletim de Ocorrência, a vítima observou pelo menos mais uma pessoa dentro do veículo, que seguiu sentido Jacareí (SP). No local da morte, os policiais encontraram oito estojos de pistola calibre 308, que estão sendo periciados.

A investigação também conseguiu localizar a BMW utilizada durante a fuga e tem como principal suspeito do crime Ricardo Adriano Ribeiro, 31 anos, foragido do Sistema Penitenciário desde 2017, quando cumpria regime semiaberto e deixou a cadeia durante uma saída temporária. Diligências seguem em curso para tentar localizar o suspeito e a arma do crime. Testemunhas seguem sendo ouvidas hoje e os laudos das perícias feitas na manhã do assassinato ainda não foram divulgados.

Comentário do usuário
X
Relatar
Use um endereço de e-mail real. Se não pudermos entrar em contato com você, não poderemos processar seu relatório.