Bolsa Família cancelado durante o auxílio emergencial: saiba o que fazer

Claudione 05/05/2021 Relatar Quero comentar

Voltado para a assistência de pessoas em situação de vulnerabilidade social e econômica, o Bolsa Família transfere aos participantes uma renda mensal que auxilia no acesso aos serviços públicos como saúde e educação. Tendo isso em vista, muitos beneficiários têm relatado sobre o  Bolsa Família cancelado durante o auxílio emergencial.

Embora tenha tido alguns intervalos, o auxílio emergencial tem sido pago desde o primeiro semestre de 2020 como forma de enfrentamento à pandemia do novo Coronavírus. O governo decidiu beneficiar alguns grupos de pessoas que foram mais prejudicados pela crise sanitária.

Desse modo, a relação entre Bolsa Família e auxílio emergencial é estreita, pois segundo o regulamento do benefício temporário, o programa é automaticamente substituído em alguns casos.

O Bolsa Família é cancelado durante o auxílio emergencial?

Não. Nos casos em que o auxílio emergencial tem um valor superior ao que é pago pelo Bolsa Família, o participante tem apenas o programa substituído temporariamente.

Isso acontece porque o governo estabeleceu que não é permitido o recebimento simultâneo de dois benefícios. Desse modo, o beneficiário recebe apenas um dos valores.

Em 2020, segundo dados do governo, cerca de 95% dos beneficiários do Bolsa Família migraram para o auxílio emergencial.

No entanto, para a segunda rodada de pagamentos, os valores das cotas diminuíram significativamente. As cotas pagas neste ano são de R$ 150, R$ 250 ou R$ 375, dependendo da composição familiar.

Assim sendo, diversas famílias beneficiárias não entraram no auxílio em 2021, pois os valores do programa são maiores do que as cotas pagas pelo auxílio.

Portanto, o Bolsa Família não é cancelado durante o auxílio emergencial, apenas substituído. Neste caso, o beneficiário deve apenas aguardar o encerramento do auxílio, pois após o período de pagamento (até julho), o Bolsa Família voltará a funcionar e atender aos beneficiários normalmente.

Governo não vai cortar o Bolsa Família durante pandemia

O Governo Federal prorrogou o prazo para revisão cadastral do Bolsa Família e do Cadastro Único. Dessa forma, no período de seis meses não haverá bloqueio ou suspensão do benefício devido à não atualização dos dados.

Normalmente, o Responsável Familiar deve atualizar o cadastro a cada dois anos, informando qualquer mudança que ocorreu na família durante o período.

Comentário do usuário