Assassino que tirou a vida da juíza no RJ se manifestou sobre o que está sentindo após ato cruel

As mais clicadas do dia 25/12/2020 Relatar Quero comentar

A véspera e dia de Natal deste ano de 2020 foi muito incomum para muitas família em todo o mundo. As festas tiveram que ser muito mais contidas do que usualmente normalmente acontece. Mesmo diante de tanta turbulência, em geral, as família brasileira sempre são agradecidas e se alegram neste dia tão importante.

Mas infelizmente para a família da juíza Viviane Vieira do Amaral Arronenzi de 45 anos, a véspera de Natal ficou marcada pelo terror causado pelo ex-marido e pai de suas três filhas. Paulo José Arronenzi de 52 anos tirou a vida da juíza com golpes de faca. As três filhas pequenas foram testemunhas oculares desta atrocidade.

O crime aconteceu na Barra da Tijuca no Rio de Janeiro e Paulo José foi detido em flagrante por alguns Guardas Municipais que estavam próximo ao local do crime. Foi constatado no local, pelos Bombeiros que atenderam a ocorrência, o falecimento da juíza Viviane.Após ser preso os agentes questionaram Paulo José se ele estava arrependido do que tinha feito com a ex-mulher. Os agentes ficaram chocados com a atitude do assassino que apenas chacoalhou os ombros demonstrando não ter qualquer arrependimento do crime que tinha acabado de cometer na frente das três filhas.

“Ele ficou todo o tempo calado, mas perguntamos se estava arrependido de algo. Ele balançou o ombro como queria dizer “tanto faz, tanto fez”, só dizendo que era melhor morrer”, disse um gos guardas municipais que prenderam ele. Paulo José já apresentava um histórica de violência doméstica. Em setembro Viviane registrou um BO depois de receber ameaça de morte do ex-marido.

Ela contou que o então marido a ameaçou: “Isso não vai ficar assim! Eu vou te matar”. O caso de setembro foi registrado como lesão corporal e ameaça. Ambos no âmbito de violência doméstica e familiar contra a mulher.

Comentário do usuário
Você pode gostar